16 de abril de 2019

Prefeitura pretende realizar obra de melhorias na sanga que passa às margens do campo do Botafogo


Os secretários de Planejamento e Obras, respectivamente, Luciane Moura e Clodoaldo dos Santos, o secretário adjunto Matter Souza, o geólogo Bruno Menegon e os engenheiros civis da Prefeitura Marcos Schiefelbein e Fagner Fernandes da Silva, estiveram vistoriando o entorno das residências da sanga que passa às margens do campo do Botafogo, entre as ruas Coronel Longuinho e Brigadeiro Camilo Mércio, e são atingidas pelas águas quando acontecem chuvas fortes.

É do conhecimento de todos, que as inundações acontecem em razão das construções em cima do leito da sanga, das tubulações de diversos diâmetros e do lixo jogado nas ruas (ações que vão ocorrendo ao longo do tempo).

Conforme o Departamento de Comunicação da Prefeitura, cabe salientar que a obra de asfaltamento da rua 21 de Abril não afetará negativamente as inundações já registradas ali, uma vez que, o asfalto é somente na pista de rodagem e para complementar o sistema e proporcionar melhor desempenho estão sendo construídas bocas de lobo, que darão maior vazão as águas. Além disso, também serão construídas rampas de acesso de acordo com as normas de acessibilidade contemplando toda a extensão da obra.

“Temos visto que os fenômenos climáticos estão cada vez mais severos e, é por isso, que temos que ter o senso de coletividade, respeitando os espaços públicos nas nossas construções e atitudes do dia a dia”, destacou a titular da Seplan.

Além das situações citadas acima, foram verificadas muitas árvores plantadas sobre a tubulação, “temos um alto índice de tubulação quebrada em razão das raízes das árvores. Essa situação está sendo recorrente por toda a cidade”, enfatizou o titular das Obras.

Algumas espécies de árvores podem ser plantadas, mas é necessário um aconselhamento técnico, “para isso temos o Departamento de Meio Ambiente que está à disposição dos munícipes, para orientar que tipo de árvore pode ou não ser plantada em determinado local”, relatou o geólogo Bruno.

Medidas adotadas
Como não é possível refazer toda a tubulação e muito menos as construções ali edificadas, a administração, através do corpo técnico, está tentando minimizar a situação e realizará algumas intervenções para aumentar a vazão das águas daquela localidade e também de outros pontos da cidade.

A Secretaria de Obras montará uma equipe permanente que trabalhará na drenagem urbana (limpeza e desobstrução de bocas de lobo) e a Secretaria de Planejamento viabilizará a contratação de uma empresa terceirizada para hidrojateamento na tubulação, nas situações em que a equipe da Secretaria de Obras não consiga acesso.

0 comentários:

Postar um comentário

Em "Comentar como:"
Você pode comentar como "Anônimo"

Copyright © FOLHA DA CIDADE | Designed With By Blogger Templates
Scroll To Top