Rádio Upacaraí

4 de setembro de 2017

INSS começa convocação de aposentados por invalidez, que passarão por pente-fino


 Serão convocados mais de 1 milhão de aposentados por invalidez com menos de 60 anos que estão com o benefício sem revisão há mais de dois anos.

 O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começou a enviar dia 25 de agosto, as cartas de convocação para aposentados por invalidez que passarão por revisão do benefício.

 Nesta primeira etapa, serão convocados 22.057 de um total de 1.004.886 de aposentados por invalidez com menos de 60 anos que estão com o benefício sem revisão há mais de dois anos.

 Os segurados com mais de 60 anos que recebem aposentadorias por invalidez estão isentos da perícia e têm seus benefícios garantidos de forma definitiva.

 Esses novos convocados fazem parte do pente-fino que começou no ano passado e abrangeu primeiro os segurados que recebem auxílio-doença e que também estão sem revisão há mais de dois anos. 

 O pente-fino no caso desses segurados ainda está sendo feito. No Rio Grande do Sul serão revisadas 82.040 aposentadorias por invalidez.

 Quem receber a carta de convocação deve entrar em contato com o INSS pelo número 135 em até cinco dias corridos (exceto domingo) e agendar a perícia. Quem não fizer o agendamento terá o benefício suspenso.

 A partir da suspensão, são contados 60 dias para que se marque a perícia. Se o agendamento for feito nesse prazo, o benefício é liberado até a realização da perícia. Passados os 60 dias sem que o beneficiário se manifeste, o benefício será cancelado.

 A previsão é de que as primeiras perícias médicas comecem em setembro, levando em conta os prazos de entrega das correspondências e de contato dos beneficiários pelo número 135 para a marcação do agendamento.

 Segundo o ministério, a conclusão do processo de revisão tem prazo legal até dezembro de 2018. A economia prevista ao final do pente-fino é de R$ 10 bilhões.

Auxílio-Doença

 No caso do auxílio-doença, até o dia 4 de agosto, foram realizadas 210.649 perícias com 168.396 benefícios cancelados. Ao todo, 530.191 benefícios de auxílio-doença serão revisados. A economia anual estimada até agora é de R$ 2,7 bilhões.

Em Dom Pedrito

 Nossa reportagem fez contato com o chefe da agência local, mas ele informou que foi orientado pela direção do instituto a não dar entrevistas sobre o tema, que informações poderiam ser obtidas somente com a assessoria de comunicação da entidade. Infelizmente, números e informações a respeito do atendimento em Dom Pedrito não foram, desta maneira, disponibilizados.



0 comentários:

Copyright © FOLHA DA CIDADE | Designed With By Blogger Templates
Scroll To Top