Cidade




Na manha desta terça-feira (3), uma reunião entre a administração do Presídio Estadual de Dom Pedrito e Executivo municipal tratou de importantes assuntos referentes ao trabalho desempenhado na casa prisional. O Folha da Cidade acompanhou o encontro que serviu para apresentar a direção do PEDP ao chefe do Executivo. O diretor do Presídio, Dilso Garcia e o chefe de segurança, Paulo César Antunes receberam o prefeito Mário Augusto, o vice-prefeito Diego da Rosa Cruz e o diretor de Esportes, Glécio da Cuz.

Na oportunidade, o prefeito apresentou projeto de utilização de mão de obra prisional, destinado aos apenados do regime semiaberto, o que foi recebido de forma positiva pela direção do PEDP. O diretor destacou que esse tipo de projeto, além de beneficiar o município, garante inclusão e ressocialização aos apenados, que muitas vezes não conseguem ser reinseridos no mercado de trabalho. "Os apenados têm o apoio que necessitam dentro da casa prisional. Eles são atendidos com apoio médico, jurídico e recebem atendimento social. A cidade de Bagé conta com 60 apenados trabalhando para a prefeitura", reforçou o diretor.

O prefeito salientou que a Prefeitura será parceira do Estado na reinclusão dos detentos no convívio da sociedade. "Essa questão melhora a autoestima, responsabilidade e a disciplina do apenado e nós estamos preparados para isso", manifestou.

Mário Augusto pontuou que durante sua primeira gestão, houve a tentativa de utilizar esse sistema de ressocialização de detentos. No entanto, não houve grande progresso. "Nesse momento, é uma meta da nossa administração ampliar esse projeto", frisou.

Diante do momento delicado, o prefeito destacou que a contratação de mão de obra acaba sendo dificultada. Basicamente, o apenado é contratado e recebe aproximadamente R$ 1.000,00 ao mês. deste valor, ele tem acesso ao montante de R$ 700,00, o restante é depositado em uma conta poupança que o apenado tem acesso após concluir sua pena. é importante destacar que não há vínculo entre a contratante e o apenado, o processo é administrado pela Susepe e o contratado deve apresentar comportamento adequado enquanto participa das atividades. Atualmente, cerca de 20 apenados estariam aptos a participarem do projeto.

O prefeito destacou o apoio que o Executivo recebe da Câmara de Vereadores. Ele ressaltou que a comunidade de Dom Pedrito se preocupa com as questões sociais. "Não tenho dúvidas que esse momento é o mais apropriado para o desenvolvimento de ações sociais", Disse Mário Augusto.

O vice-prefeito Guiga frisou a importância do serviço penitenciário para a segurança no município. "Sabemos que parte dos crimes são comandados de dentro do sistema prisional. Portanto, as ações que são realizadas no Presídio se refletem nas ruas", manifestou Guiga, acrescentando que o município não registra nenhum homicídio desde outubro de 2020.

Durante a visita, os visitantes conheceram a horta que é cultivada nas dependências do PEDP por apenados e mantida com doações dos próprios policiais penais, além da Secretaria da Agricultura do município, através do Horto Florestal. Do local saem hortaliças que são doadas para entidades assistenciais do município além de complementar a alimentação dos apenados e policiais penais.













Seu comentário

Em "Comentar como:"
Você pode comentar como "Anônimo"

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anuncie aqui

header ads

Anuncie aqui

header ads

Anuncie Aqui

header ads