Cidade



A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e de Abigeato de Bagé – DECRAB/BAGÉ, investigou, em meados do ano de 2019, um roubo a propriedade rural ocorrido no município de Dom Pedrito. O crime causou comoção regional, pois as vítimas foram amarradas, agredidas e torturadas pelos criminosos.

Nesse sentido, o crime foi investigado e seus autores foram identificados e presos em flagrante por tráfico de drogas, em Dom Pedrito, apontando as investigações que o roubo investigado teria sido cometido por uma associação criminosa ligada ao tráfico de drogas. Registre-se que é corriqueiro verificar essa forma de atuação dessas associações criminosas, que buscam nos delitos patrimoniais alternativa para rápida capitalização da estrutura criminosa.

Assim, durante as investigações complementares, após a prisão dos envolvidos nos crimes de roubo e tráfico de drogas, restou identificado e também indiciado o responsável pelo fornecimento de drogas para a associação criminosa. O fornecedor da droga, que naquele momento encontrava-se no sistema prisional gaúcho, é membro de uma facção criminosa de atuação estadual.

Ocorre que, da análise dos objetos apreendidos e dando sequência à investigação, verificou-se a vinculação deste mesmo indivíduo com a criminalidade também verificada na cidade de Pinheiro Machado, onde ele também seria o responsável pelo fornecimento de drogas para associação criminosa instalada em Pinheiro Machado, comandando as ações criminosas de dentro do sistema prisional.

Desse modo, verificando a existência de uma atuação criminosa regionalizada, especializada no tráfico de drogas e crimes conexos, mas que também afetou diversos produtores rurais com violentos crimes de roubo a propriedades rurais, foi realizada uma investigação regionalizada e integrada, capitaneada pela DECRAB/BAGÉ, com a participação das Delegacias de Polícia de Dom Pedrito e Pinheiro Machado.

Assim, enquanto ainda era investigada a origem da droga e lideranças criminosas dos crimes verificados em Dom Pedrito, em paralelo, no mês de Dezembro de 2019, a DECRAB/BAGÉ e a DP de Pinheiro Machado começaram investigação para elucidação de crimes de roubo a propriedade rural e tráfico de drogas cometidos em Pinheiro Machado que, em tese, estariam sendo cometidos de forma semelhante aos ocorridos em Dom Pedrito, mais, tendo como ponto comum a origem e fornecedor da droga.

Durante a investigação da Operação Faxina, a Polícia Civil descobriu que o grupo criminoso possui atuação também em Porto Alegre e Região Metropolitana e seria responsável pelo narcotráfico, homicídios, entre outros delitos, para a manutenção do seu domínio na venda de drogas em Pinheiro Machado e região.

As atividades de tráfico de drogas na cidade são realizadas em diversos pontos do município, e são diversos os indivíduos que compõem o grupo criminoso, atuando a maioria na venda direta da droga. De outro norte, também foram identificados os indivíduos que somente armazenavam os entorpecentes, bem como os que atuavam na organização financeira e movimentações bancárias, além de outros integrantes do grupo que portariam armas e armazenariam em suas residências.

Em Dom Pedrito, restaram identificadas as contas bancárias utilizadas para a movimentação financeira da organização criminosa. Em um ano, as movimentações financeiras superam R$ 5,5 milhões de reais. Ainda, também identificamos que o “braço direito” do chefe do grupo, está atualmente recolhido no Presídio Regional de Bagé. Entretanto, apuramos que ele consegue repassar diversas orientações a traficantes de drogas na cidade de Pinheiro Machado, os quais estão sob a sua liderança.

Dentre os gerentes da organização há a namorada do apenado do Presídio Regional de Bagé, ela atualmente reside em Pinheiro Machado e conta com diversos contatos que agem como facilitadores da organização (parte financeira e informações) como, por exemplo, um indivíduo que é funcionário de um banco na cidade, e teria controle sobre as finanças do grupo e trocaria informações com ela acerca das movimentações financeiras referentes ao dinheiro oriundo do tráfico.

Ao longo das investigações, a Polícia Civil realizou diversas ações e prisões em flagrantes, de indivíduos ligados a esse grupo criminoso. Nessas prisões, apreenderam diversas armas de fogo, munições, e grande quantidade de entorpecentes, materializando a investigação. 

Agora, para a desarticulação dessa complexa organização criminosa, na manhã desta quinta-feira, um efetivo global de 260 policiais, cumpriram 40 mandados de busca e apreensão, 27 mandados de prisão preventiva, 39 bloqueios judiciais de contas ligadas à movimentação financeira do tráfico de drogas, totalizando 106 ordens judiciais. As medidas judiciais foram cumpridas nas cidades de Pinheiro Machado, Bagé, Novo Hamburgo, Campo Bom, Salvador do Sul, Canoas, Cachoeirinha e Porto Alegre.

A presente investigação recebeu o nome de “Operação Faxina” em razão da necessidade emergencial de “limpar” a cidade de Pinheiro Machado dessa organização criminosa e consequentemente coibir as atividades de traficância de entorpecentes e outros crimes relacionados na região.






Seu comentário

Em "Comentar como:"
Você pode comentar como "Anônimo"

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anuncie aqui

header ads

Anuncie aqui

header ads

Anuncie Aqui

header ads