Cidade

Maximiliano Alves de Moraes, superintendente


Na quarta-feira (7), o titular da Superintendência Regional do Pampa (Surpa) Maximiliano Alves de Moraes, esteve em Dom Pedrito, onde realizou reunião junto aos servidores da Corsan, para tratar de assuntos referentes ao abastecimento nos meses mais quentes do ano. No verão passado, a Companhia enfrentou problemas relativos à qualidade da água, interrupção no abastecimento, dentre outras polêmicas que foram pautadas pelo jornal Folha da Cidade.

Moraes concedeu entrevista ao Folha e a Rádio Upacaraí, abordando o propósito da visita à Capital da Paz e enfatizando que a Corsan está ciente dos problemas na cidade. Ele já trabalhou em Dom Pedrito e, agora, como gestor regional, objetiva tratar de assuntos da área operacional. “Temos hoje um déficit grande na área operacional, então estamos tratando disso para dar um apoio com as estruturas regionais ao pessoal daqui”, contou. Esse aporte será necessário para acelerar consertos de rede, por exemplo, que são os mais corriqueiros na zona urbana. “Gera alguns transtornos, como abertura de pavimento e a repavimentação, que ocasionalmente atrasa”.

A Surpa foi descentralizada para otimizar a gestão. Uma segunda reunião deverá ser realizada em Dom Pedrito no final de outubro para tratar assuntos referentes à Companhia. “Buscamos algumas soluções para problemas. Há (cerca de) 15 dias nós tivemos uma reunião na Prefeitura onde nos foi cobrado algumas ações para o verão, duas delas importantes”, referiu Maximiliano, quanto ao abastecimento no Passinho do Batista e a captação no rio Santa Maria, para evitar o desabastecimento na cidade. Investimentos e soluções nessas áreas já estão sendo trabalhadas pela Companhia.

Questionado se a Corsan está conseguindo alinhar essas soluções para enfrentar os problemas que ocorrem a todo verão em Dom Pedrito, Alves comentou que se está buscando uma solução para a captação no Posto de Bombas (junto ao rio Santa Maria), para que se evite buscar a água da barragem da Serrinha. “Deixar a barragem como reserva técnica, para que em uma eventualidade de que se impossibilite a captação direta no rio, nós tenhamos reserva de água, embora não seja de boa qualidade, da barragem”, salientou.

Está sendo desenvolvido um estudo de viabilidade técnica comparativo entre os sistemas de gravidade da barragem e do rio Santa Maria, no entanto, a reunião realizada em Dom Pedrito objetivou trabalhar em soluções mais imediatas.

Abastecimento no Passinho do Batista

A irregularidade no abastecimento, devido a características únicas de relevo e a necessidade de investimentos para garantir a segurança hídrica da localidade estão na pauta mais imediata da Corsan.

Maximiliano foi pessoalmente visitar o Passinho do Batista e viu situações únicas, como a presença de rochas no local. “No primeiro momento, vamos executar uma rede em parceria com a Prefeitura, que vai nos conseguir as máquinas”, explicou. A rede deverá ir até a entrada do acesso à localidade, mas não é um trabalho definitivo. “Vamos colocar água o suficiente para o verão”, contou.

Seu comentário

Em "Comentar como:"
Você pode comentar como "Anônimo"

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anuncie aqui

header ads

Anuncie aqui

header ads

Anuncie Aqui

header ads