Cidade



De acordo com o último informativo conjuntural da Emater, a estiagem continua. Permanece o mesmo panorama climático, os reservatórios continuam com níveis baixos. Sem precipitações. A umidade relativa do ar ficou em média 41%. Baixa evapotranspiração. As temperaturas oscilaram entre 1ºC e 23ºC. Formação de geada. As condições de luminosidade foram boas.

Bovinos de corte

Aqueles produtores que praticam a integração lavoura/pecuária estão obtendo bons resultados em termos de ganho de peso. A comercialização de gado gordo estabilizado nos patamares da semana passada. As categorias de reposição seguem a tendência do gordo. As matrizes começam o período de parição. Os touros continuam sendo alimentados em potreiros com pastagem ou com ração no cocho.

Bovinos de leite

O grupo de produtores de leite de Dom Pedrito está resumido a 10 produtores entregando para a indústria. O restante entrega na rua ou agroindustrializam. As condições climáticas estão favorecendo o desenvolvimento das pastagens artificiais, neste cenário aumentou o volume de leite. O preço a nível de produtor obteve um pequeno aumento, se compararmos com o preço nos supermercados.

Ovinos

Alguns produtores, em breve, já assinalam, rabonam e castram os cordeiros machos. O rebanho ovino do município vem diminuindo consideravelmente ano após ano, as causas são diversas: a principal é o abigeato, ataque de cachorros e javalis. Os novos proprietários não tem perfil ovelheiro e nem tradição na atividade. Já nota-se a concentração dos rebanhos de cria nas proximidades das sedes das propriedades, com o intuito de cuidar melhor a parição, e proteger contra os predadores. Os produtores estão fazendo o manejo da época, limpeza de ubere, alguns controlam a verminose, outros fazem o casquiamento. Os bebedouros têm boa oferta de água para dessedentação.

Pastagens

A formação de geada da semana que passou não favoreceu o desenvolvimento das pastagens. Este ano no outono praticamente não houve reposição do banco de sementes no solo do campo nativo, devido a prolongada seca que aconteceu. As forrageiras artificiais que, no nosso caso, a principal é o azevém, está com bom desenvolvimento. O campo nativo experimentou uma reação positiva com as condições de aumento das temperaturas , insolação e ainda boa umidade no solo nas semanas anteriores.

Apicultura

Neste período os produtores continuam a aquisição de insumos, entre eles a cera laminada, com o objetivo de preparação das caixas e das sobrecaixas (melgueiras) para o período da primavera que se aproxima. Os apicultores estão terminando a fase de alimentação de manutenção e iniciando o fornecimento de alimentação de estimulação da postura, com vistas a promover o aumento populacional das colônias de abelhas, objetivando melhor aproveitamento da grande florada da primavera que está por vir.

Preparam as caixas iscas destinadas a capturar enxames, cuja distribuição a campo deverá começar a acontecer a partir da segunda quinzena de agosto. Continuam com as revisões gerais dos apiários, recolocando em posicionamento colmeias viradas e avaliando a necessidade de alimentação. Neste período os apicultores buscam acesso ao crédito através de projetos de custeio e investimento, este último geralmente para a compra de colmeias povoadas e/ou para compra de caixas que irão serem utilizadas na substituição das que estão no campo em precárias condições de conservação. 

Arroz

O mercado do arroz reagiu positivamente com relação ao preço. Existe um entusiasmo com relação a próxima safra que é freado pelo fato de que as barragens estarem com os níveis de água muito baixos, atualmente o município tem água armazenada para 22.000 hectares. Algumas áreas estão com preparo de verão, outras em preparação, aproveitando a estiagem.

Os produtores planejam a próxima safra, entram em promoções de compra de insumos, limpam e constroem canais e estradas na estruturação da próxima safra. Não é possível fazer uma previsão final de diminuição ou aumento de área para a safra 2020/2021 em função da estiagem.

Soja

Com a estiagem os produtores avançaram no preparo do solo. Se não aumentar a reservação de água os produtores mais estruturados e capitalizados terão que diminuir a área irrigada. Muitos produtores estão fazendo correção com calcário, semearam azevém ou aveia para formar palhada para a próxima safra.

Aquelas lavouras que semearam azevém, estão arrendando por cabeça ou por hectare, com isto conseguem mais uma renda. Existem muitas incertezas com relação a próxima área a ser plantada, devido a muitos problemas climáticos da nossa região. Também o endividamento pesa neste momento. A princípio, em conjunto com os parceiros estimamos que a lavoura 2020/2021 manterá os 120.000 hectares.

Seu comentário

Em "Comentar como:"
Você pode comentar como "Anônimo"

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anuncie aqui

header ads

Anuncie aqui

header ads

Anuncie Aqui

header ads