Cidade


O comandante do 4º Esquadrão da Brigada Militar, capitão Patrique Rolim, concedeu entrevista exclusiva ao jornal Folha da Cidade, após a segunda noite de Carnaval de Rua ser finalizada, já na madrugada de domingo (8), onde avaliou o andamento do evento no que concerne à segurança. Além do efetivo local, policiais da Força-Tática de Bagé e a plataforma de observação da Secretaria de Segurança foram empregados.

Apesar de alguns eventos isolados, o capitão destaca que foram duas noites de relativa tranquilidade. Na segunda noite, por exemplo, não houve registro de ocorrências. “Não teve nenhum evento na área da segurança pública que pudesse prejudicar a realização dos desfiles”.

A “Operação Carnaval” sempre foi uma preocupação da Brigada Militar. “Se o Carnaval aconteceu de maneira tranquila, não é fruto do acaso, é fruto de um planejamento que vem ocorrendo desde muito cedo”, salientou Rolim, complementando que o evento envolve uma parcela muito grande da população, portanto, a Brigada Militar precisa se fazer presente. “Conseguimos, com apoio do comando, trazer mais efetivo”.

Foi a primeira vez que a plataforma de observação foi empregada em um Carnaval.

Rolim ainda salientou que trabalha, junto a administração, para repor os quadros da Brigada Militar. Para empregar o efetivo, por exemplo, no Carnaval, foi necessário aporte de horas extras e paralisar o trabalho administrativo do Esquadrão.

Ocorrências isoladas
Na sexta-feira, um homem foi preso por tráfico de drogas no interior da praça General Osório. Já no início da madrugada de sábado, um acidente envolvendo pedestre e motociclista na rua Júlio de Castilhos. Na noite de sábado, uma briga próximo a concentração do desfile – Júlio de Castilhos, esquina Bernardino Ângelo foi registrada -, mas os ânimos foram rapidamente controlados.

Post a Comment

Em "Comentar como:"
Você pode comentar como "Anônimo"

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anuncie aqui

header ads

Anuncie aqui

header ads

Anuncie Aqui

header ads