3 de outubro de 2019

Município perdeu posições no Índice de Desenvolvimento Socioeconômico


A Fundação Estadual de Economia e Estatística (FEE) divulgou nesta quarta-feira (2), os dados do Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese) dos municípios do Estado, relativo ao ano de 2016. Na comparação com 2015, o indicador passou de 0,751 para 0,754, o que mantém o Estado no patamar de desenvolvimento médio. O Idese segue metodologia semelhante à adotada para mostrar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Em relação a 2015, Dom Pedrito perdeu 11 posições, caindo de 362°, enquanto em 2016, o município ocupa a 373ª posição, com um índice geral de 0,706, assim mesmo, considerado em um patamar aceitável de desenvolvimento.

O estudo também avalia educação, saúde e renda

Quanto à educação, o município ocupa a posição 400, totalizando índice de 0,673. Quanto ao bloco renda, o município ocupa a posição 307, com índice 0,639. Já relativo ao índice saúde, ocupa a posição 405, com índice de 0,805.

Municípios da Serra lideram

Pelo sétimo ano consecutivo na série do Idese, Carlos Barbosa, na região da Serra, figura na liderança do índice geral do Idese para os municípios, com 0,884, desempenho levemente superior a 2015 (0,879), mas ainda inferior ao seu ápice de 2014 (0,892).

Metodologia e parâmetros

Parâmetro para avaliar a situação socioeconômica dos municípios gaúchos a partir de aspectos quantitativos e qualitativos quanto ao desenvolvimento nestas três áreas, a divulgação do Idese 2016 incluiu também os indicadores por municípios e por Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes), além de outras regionalizações importantes para o planejamento, como as microrregiões do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), regiões de Saúde e Educação entre outras.

“Mesmo o Rio Grande do Sul apresentando indicadores que o colocam em um nível médio de desenvolvimento, o Idese nos ajuda a identificar onde é possível melhorar, para onde as políticas públicas precisam de um olhar mais atento”, destacou a secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos. A classificação vigente considera o desenvolvimento alto aqueles indicadores maiores ou iguais a 0,800, médio os que se encontram entre 0,500 e 0,799 e baixo os que não superam o índice de 0,499.

0 comentários:

Copyright © FOLHA DA CIDADE | Designed With By Blogger Templates
Scroll To Top