25 de março de 2019

Três casos de violência contra a mulher são registrados no final de semana


De sexta-feira (22) a domingo (24), três casos de Maria da Penha foram registrados na Delegacia de Polícia de Dom Pedrito, o que mostra que casos de violência contra a mulher se tornaram, infelizmente, comuns no município, sejam esses casos de violência física ou psicológica. 

Sexta-feira, às 11h, uma mulher de 25 anos comunicou que o primo de seu ex-companheiro, ora acusado, que reside em uma casa que fica nos fundos da residência da vítima, tem lhe proferido ameaças através de outras pessoas as quais a vítima não quis informar o nome para preservar as mesmas. Conforme denúncia da mulher, o acusado diz que vai "pegá-la" e onde ele a encontra-se iria xingar a vítima e bater nela. 

Na delegacia, ela disse que estava a três dias fora de casa, pois teme que o acusado a aborde. Ela representou criminalmente contra ele e solicitou medidas protetivas.

No sábado, às 12h20, uma mulher de 24 anos compareceu no 4º Esquadrão da Brigada Militar para informar que vem sendo perturbada pelo seu ex-companheiro através de mensagens via Whatsapp, onde o mesmo se faz de vítima dizendo que a vítima é quem o ameaça, que um carro o seguia e que se isso continuasse ele iria até a Polícia. 

A vítima foi conduzida até a Delegacia de Polícia para registrar ocorrência de perturbação de tranquilidade, representando criminalmente contra o homem e solicitando medidas protetivas.

No início da madrugada de domingo, por volta da 1h40, uma mulher de 40 anos compareceu no 4º Esquadrão da Brigada Militar em razão de ter sofrido ameaça e dano, realizadas pelo seu ex-companheiro, também de 40 anos, ao qual foi casada por 18 anos e está separada há 3 meses, sendo que ele não aceita o fim do relacionamento. 

Ela relatou à Polícia que estava com um amigo nas proximidades de um bar quando o ex-companheiro chegou agredindo o amigo da mulher com diversos socos no rosto. O acusado ainda danificou o carro da vítima com socos e pontapés, por motivo de ciúmes. A ira do homem não parou por aí. Ele perseguiu a vítima e, segundo denúncia, colidiu propositalmente com a sua caminhonete na traseira do carro da vítima. Segundo denúncia, o acusado referiu que se a ex-mulher quiser dividir os bens em comum, se prepare para deixar sua filha orfã. 

De acordo com ocorrência, o acusado mora na casa da vítima, que fica nos fundos da casa de sua mãe e se nega a sair do local. A mulher teme por sua integridade física e por esse motivo decidiu representar criminalmente contra o homem, requerendo medidas protetivas referentes a lei Maria da Penha. 

0 comentários:

Copyright © FOLHA DA CIDADE | Designed With By Blogger Templates
Scroll To Top