Cidade

O enfretamento ao novo coronavírus impôs mudanças bruscas nas rotinas sociais. O isolamento orientado pelas autoridades, para reduzir a disseminação da Covid-19, reduziu o acesso a serviços, inclusive os de saúde. Muitos pacientes tiveram dificuldades para dar continuidade a tratamentos regulares iniciados antes da pandemia. 

Em razão das medidas restritivas adotadas, constatou-se que nos primeiros 15 dias de calamidade decretada houve redução de 55% em consultas médicas por meio do IPE Saúde. De 17 a 31 de março de 2020, foram realizadas 60 mil. No mesmo período em 2019 chegou-se a 134,4 mil consultas.

Como ação de contingência e com foco em garantir assistência aos usuários, além da implantação de diversos serviços por meio digital, o IPE Saúde anunciou a implantação do atendimento por teleconsulta. A informação foi dada pelo governador Eduardo Leite, nesta terça-feira (14), durante transmissão pela internet com atualizações sobre o enfrentamento da pandemia de Covid-19. De acordo com o diretor da autarquia, Marcos Vinicius Vieira de Almeida, cerca de oito mil pedritenses poderão utilizar o novo serviço. Ele revelou a informação em entrevista ao Primeiro Jornal, da Rádio Upacaraí.

Desenvolvida em parceria com a Procergs, a novidade segue as diretrizes atualizadas para o setor publicadas pelo Ministério da Saúde e pelo Conselho Federal de Medicina, entrando em vigor a partir desta terça-feira (14).

Ainda em caráter excepcional e temporário, o serviço dispensará a cobrança de coparticipação para o usuário.

Entre as vantagens do novo serviço está o fato de que as consultas poderão ser realizadas a qualquer dia e horário, inclusive aos finais de semana, sendo agendadas diretamente entre pacientes e profissionais.

A partir desse contato, o segurado solicita a teleconsulta na área própria do site do instituto, indicando o número de inscrição no Conselho Regional de Medicina (CRM) do especialista. O médico, por sua vez, receberá, via SMS, uma mensagem contendo a senha necessária para a validação do atendimento solicitado pelo usuário. Quando o profissional digitar a senha na autorização de consulta pelo site, o processo estará habilitado.

A definição sobre as plataformas a serem usadas para a realização dos procedimentos cabe aos médicos. Contudo, eles deverão adotar sistemas criados especificamente para esse fim, visando preservar integridade, segurança e sigilo das informações mediante encriptação entre as partes, registro de prontuário com dados clínicos e a emissão de receitas e atestados de modo eletrônico.

Além disso, ao realizar as ações deverão atender aos preceitos éticos de beneficência e observar as normas e orientações sobre notificação compulsória, em especial as listadas no Protocolo de Manejo Clínico do Coronavírus.

O detalhamento sobre o atendimento por teleconsulta consta na ordem de serviço publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira. Também há tutoriais disponíveis no site para os usuários e para os prestadores.

A solicitação do atendimento por teleconsulta pode ser feita pelo portal rs.gov.br, alternativa oferecida pelo governo do Estado para a população ter acesso a serviços públicos sem precisar sair de casa. Lançada em novembro de 2019, a plataforma concentra as funcionalidades oferecidas pelo Executivo, além de acesso ao governo federal e administrações municipais.

Post a Comment

Em "Comentar como:"
Você pode comentar como "Anônimo"

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anuncie aqui

header ads

Anuncie aqui

header ads

Anuncie Aqui

header ads