Cidade


Imagens enviadas à reportagem mostram o modelo que deve ser empregado no município

O Folha entrevistou o secretário de Educação Marco Antônio Rodrigues, Marquinhos, onde abordamos diversos assuntos, entre os quais, o projeto Escola Itinerante: são salas de aula, adaptadas em contêineres, que serão utilizadas na zona rural.

De acordo o secretário, o projeto-piloto consiste de três unidades, contemplando a escola municipal Ana Riet Pinto, uma segunda unidade no Obelisco da Paz e a terceira unidade na escola municipal Oscar Pohlmann. A primeira unidade deve chegar no final de semana, enquanto as outras duas, no final de março.

As unidades possuem 27 metros quadrados, cada uma, sendo dois contêineres acoplados, dispondo de dois aparelhos de ar-condicionado cada, iluminação de led, isolação térmica, telhado próprio e banheiros masculino e feminino. Rodrigues salienta que investir em reforma de um prédio na zona rural é algo economicamente inviável ao município, pois o fato de os alunos trocarem constantemente de escola, pode tornar uma reforma dispendiosa na questão do custo/benefício. “Com a escola itinerante, consegue-se movimentar a estrutura para outro lugar, acompanha a movimentação dos alunos”, observou o secretário.

Cada unidade deverá atender em torno de 15 a 20 alunos. Além das salas de aula, as unidades também são contempladas com brinquedos – balanças, escorregador, entre outros.

O investimento, nas três unidades, foi de R$ 190 mil.

A entrevista completa, o leitor poderá conferir na próxima edição do Folha. 


Post a Comment

Em "Comentar como:"
Você pode comentar como "Anônimo"

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anuncie aqui

header ads

Anuncie Aqui

header ads