Buscar

Mais de 6 mil pedritenses serão beneficiados com o Auxílio Brasil



A Caixa Econômica Federal iniciou nesta quarta-feira (17) o pagamento do Auxílio Brasil, novo programa social que substitui o Bolsa Família. Conforme dados obtidos pela

reportagem do Folha, no município eram 2.361 famílias beneficiadas pelo antigo programa, agora serão 6.832 pessoas beneficiadas pelo Auxílio Brasil, pouco mais de 17% da população pedritense, representando uma cobertura de 90% em relação à estimativa de famílias pobres do município.


Apenas em outubro, foram transferidos R$ 148 mil aos beneficiados pelo Bolsa Família, mas a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social aguarda os pagamentos o Auxílio Brasil para quantificar os novos valores. As estimativas iniciais são de que haja um aumento de 20% nos repasses.


Quem recebia o Bolsa Família não precisará ir aos Cras (Centros de Referência de Assistência Social) para refazer o cadastro. O Auxílio Brasil usará a mesma base de dados do antigo programa social. Apenas nos casos em que o usuário precisar atualizar informações, como mudanças na família e na documentação do responsável familiar há menos de dois anos, será necessário procurar o Cras para atualizar os dados.


O beneficiário poderá consultar informações sobre as datas de pagamento, o valor do

benefício e a composição das parcelas em dois aplicativos: o novo aplicativo Auxílio Brasil, desenvolvido para o programa social e o aplicativo Caixa Tem, usado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.


O novo programa social terá três benefícios básicos e seis suplementares, que podem ser adicionados caso o beneficiário arranje um emprego ou tenha um filho que se destaque em competições esportivas ou em competições científicas e acadêmicas.


Podem receber o Auxílio Brasil as famílias com renda per capita de até R$ 100, consideradas em situação de extrema pobreza, e aquelas com renda per capita de até R$ 200, consideradas em condição de pobreza. No Bolsa Família, os valores das linhas de extrema pobreza e pobreza eram, respectivamente, de R$ 89 e de R$ 178 por pessoa.

441 visualizações0 comentário