Larvas do mosquito Aedes aegypti são encontradas no Cemitério


A equipe da Vigilância Ambiental, da Secretaria de Saúde, informa que vários focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor de diversas doenças, já foram encontrados dentro do Cemitério Municipal, localizado na rua Coronel Longuinho, 1834.


De acordo com a Lei nº 2.435, art. 3º, ficam os munícipes e os responsáveis pelos estabelecimentos públicos e privados em geral, proprietários ou locatários obrigados a adotar as medidas necessárias à manutenção de seus imóveis limpos, sem acúmulo de objetos e materiais que se prestem a servir de criadouros, evitando condições que propiciem a instalação e proliferação dos vetores.


Em resumo, está proibido qualquer objeto que acumule água, sejam vasos, floreiras ou qualquer outro recipiente que acumule água dentro do Cemitério.


Solicita-se que as pessoas que tiverem túmulos no cemitério e não estiverem de acordo com a Lei, devem resolver a situação no máximo até dia 15 de novembro, terça-feira da próxima semana. Após esse prazo limite, até o dia 30 de novembro, a administração do Cemitério ficará responsável por eliminar todo e qualquer objeto que acumule água, para que o Setor não venha a ser penalizado com advertência e multa, caso não resolva o problema.


A orientação é que os munícipes façam a sua parte, retirando e/ou substituindo os recipientes acumuladores de água existente nos memoriais de homenagem aos seus entes queridos, colaborando com toda a comunidade.

3 visualizações0 comentário