Conecte SUS completa dez dias fora do ar após ataque hacker



O aplicativo Conecte SUS segue fora do ar dez dias após o ataque hacker aos sistemas do Ministério da Saúde. A ferramenta reúne dados de saúde dos brasileiros, inclusive sobre a vacinação contra a Covid-19. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse na última quinta-feira (16) que o problema seria resolvido até o fim de semana.


A pasta ainda não divulgou nova data para restabelecer o sistema, mas comunicou, nesta segunda-feira (20), que finalizou o processo de recuperação dos registros dos brasileiros vacinados contra a Covid-19. De acordo com a Saúde, todos os dados foram recuperados com sucesso.


"O Ministério da Saúde informa que está trabalhando, sem medir esforços, para restabelecer o mais rápido possível os sistemas para registo e emissão dos certificados de vacinação", informou.


O primeiro ataque hacker aconteceu na sexta-feira (10) e deixou indisponível o e-SUS Notifica, o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI) e o Conecte SUS. Na madrugada de domingo (12) para segunda-feira (13), um novo ataque comprometeu e-mails, telefones e a intranet do Ministério da Saúde. Funcionários chegaram a ser dispensados do trabalho, e a PF (Polícia Federal) foi acionada para investigar a invasão.


O grupo chamado Lapsus$ reivindica a autoria dos ataques cibernéticos. Na mensagem deixada pelos hackers, havia um pedido de resgate pelas informações armazenadas — um tipo de ataque chamado ransomware, em que o invasor insere em um sistema um código malicioso que torna os dados desse sistema inacessíveis, geralmente por meio de criptografia.


A principal característica desse tipo de ataque é que os crackers – nome utilizado para designar pessoas que têm conhecimentos de informática e os utilizam para fins de ataques – solicitam resgate para que os donos dos dados tenham as informações de volta.


Correio do Povo



19 visualizações0 comentário