CNH: falta de examinadores gera atraso na aplicação de provas práticas em Dom Pedrito



A reportagem do Folha vem recebendo inúmeras mensagens de alunos que aguardam a realização da prova prática de direção, no entanto, sofrem com as constantes suspensões dos exames.


O DetranRS, responsável por designar os examinadores, alega falta de profissionais e chega até mesmo a responsabilizar os centros de formação pelo fato. A situação se arrasta desde o início da pandemia, no entanto, passados mais de dois anos, a regularização das provas parece improvável no curto prazo, em que pese o DetranRS admitir que sempre houve algum represamento. Em Dom Pedrito, cerca de 260 pessoas aguardam o exame – entre primeira habilitação e reaplicação. No Estado, o número pode passar de 90 mil.


Para compreender como o cenário se desenrolou, é preciso voltar ao início de 2020, quando decretado estado de pandemia no Brasil. O DetranRS paralisou suas atividades, retornando em maio daquele ano já com um número reduzido de examinadores, ainda, com uma série de protocolos sanitários: um deles era manter às janelas dos veículos sempre abertas, o que impedia a aplicação das provas em dias chuvosos, por exemplo. Devido aos protocolos, o tempo de prova consequentemente aumentou, em contrapartida, o tempo útil dos examinadores em cada centro de formação diminuiu. Como as provas em Dom Pedrito são realizadas duas vezes ao mês, houve um represamento das provas. Cenário similar registrado em outras cidades.


Apenas no município, entre 11 de janeiro e esta terça-feira, dia 19 de abril, foram oito datas de prova. Nas motocicletas, 128 alunos estavam agendados para realização da prova, no entanto, 50 restaram canceladas. Já para carros, o mesmo período registrou 156 cancelamentos, uma proporção de um cancelamento a cada três provas.


Neste meio tempo, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determinou o retorno ao prazo de 1 (um) ano para conclusão do processo de obtenção da CNH. Portanto, quem abriu serviço para obtenção da carteira em 2020 ou 2021, estava com prazo livre, no entanto, a partir do retorno do prazo, há o temor de que ultrapasse o período, além das dificuldades que muitos alunos enfrentam devido ao período entre o final das aulas práticas e a prova.


No âmago da questão está a falta de examinadores: grande parte dos profissionais solicitou afastamento por alegar comorbidades e não houve reposição adequada.


O Folha tentou contato com o DetranRS, no entanto, não obteve resposta. Como segunda tentativa, solicitamos atendimento via “chat” disponibilizado no site do órgão, onde foi ressaltado que estas questões não seriam respondidas naquele espaço.

345 visualizações0 comentário